Sábado, 04 de Julho de 2020
63 9 8473 3732
Dólar comercial R$ 5,32 -0.55%
Euro R$ 5,97 -0.812%
Peso Argentino R$ 0,08 -1.053%
Bitcoin R$ 51.163,12 -0.204%
Bovespa 96.764,85 pontos +0.55%
Economia Queda nas vendas

Em abril, vendas no varejo tocantinense caem 8,9%; setor de serviços recua 3,7%

Os resultados negativos dessa pesquisa também refletem os impactos das medidas para conter a propagação do novo coronavírus.

18/06/2020 16h53
104
Por: Redacão Fonte: Wendy Almeida Jornalista do IBGE/TO
Foto: Divulgação.
Foto: Divulgação.

Pela primeira vez a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) traz os resultados de um mês inteiro em que o país está em isolamento social e, como previsto, eles foram negativos em todas as 27 Unidades da Federação. No Tocantins, as vendas no varejo recuaram 8,9% em abril, na comparação com março. É a segunda queda consecutiva e pior resultado dos últimos 12 meses. Já a taxa média nacional registrou retração de 16,8%. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira, 16.

 

O volume de vendas do comércio varejista ampliado, que integra também as atividades de veículos, motos, partes e peças e material de construção, caiu 7,5% no estado. A variação nacional entre abril e março foi de -17,5%, com todas as 27 Unidades da Federação apresentando retração.

 

Ano anterior

Comparando abril de 2020, com o mesmo período do ano passado, a queda nas vendas no país também foi de 16,8%. Já o Tocantins apresentou recuo de 12,5%. Considerando o comércio varejista ampliado, ainda no confronto com abril de 2019, houve predomínio de resultados negativos em todos os estados, com variação de -14,7% no Tocantins e -27,1% na média nacional.

 

Os dados do IBGE mostram que o comércio foi bastante impactado pela estratégia de isolamento social adotada a partir da segunda quinzena do mês de março, para conter a disseminação do novo coronavírus. De acordo com o gerente da pesquisa, Cristiano Santos, o resultado do volume de vendas no varejo em abril é uma intensificação do resultado de março, quando o impacto não pôde ser sentido completamente.

 

No cenário nacional, até setores com atividades consideradas essenciais na pandemia e que tiveram avanço em março, caíram em abril, como hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos.

 

Setor de serviços

Em abril de 2020, o volume de serviços no Brasil também apresentou resultado negativo (-11,7%), na comparação com o mês de março de 2020. Regionalmente, 26 das 27 unidades da federação mostraram queda no setor. No Tocantins, o recuo foi de 3,7%. O único impacto positivo em termos regionais veio do Mato Grosso (9,0%). A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) foi divulgada pelo IBGE nesta quarta-feira, 17.

 

Na comparação com abril de 2019, o recuo do volume de serviços no Brasil (-17,2%) foi acompanhado por 26 das 27 unidades da federação. O Tocantins novamente registrou retração, dessa vez, de 7,3%. A única contribuição positiva nesta comparação foi de Rondônia (3,1%).

 

No acumulado de janeiro a abril de 2020, frente a igual período do ano anterior, a queda do volume de serviços no Brasil (-4,5%) se deu de forma disseminada entre os locais investigados, já que 25 das 27 unidades da federação também mostraram retração. No Tocantins o recuo foi de 1,6%.

 

Os resultados negativos dessa pesquisa também refletem os impactos das medidas para conter a propagação do novo coronavírus. O setor de transporte de passageiros e de carga, bem como restaurantes e hotéis, que fazem parte dos serviços prestados às famílias, registraram as maiores perdas.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.