Quinta, 26 de Novembro de 2020 15:25
63 9 8473 3732
Geral Botos no lago

Naturatins orienta população para manter distância de botos que estão sendo vistos no lago de Palmas

Aproximadamente 10 botos vermelhos foram vistos nas águas do lago de Palmas no domingo, 12

15/07/2020 12h15
195
Por: Redacão Fonte: Tânia Caldas/Governo do Tocantins
Registro de boto nas águas do lago de Palmas
Registro de boto nas águas do lago de Palmas

Aproximadamente 10 botos vermelhos, conhecidos também como boto do Rio Araguaia (Inia araguaiensis) foram vistos nas águas do lago de Palmas no domingo, 12, ocasião que as águas límpidas do reservatório se confundiram com a beleza dos animais.

A bióloga e inspetora de Recursos Naturais do departamento de Fauna do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Angélica Beatriz Corrêa Gonçalves, destaca que os botos são os maiores golfinhos de água doce e enfatiza que, como todo animal silvestre também resiste à presença humana. A orientação do Naturatins refere-se a não aproximação dos bichos.

“Orientamos também para não tentarem tocar nos animais. Mas sim aproveitarem esse privilégio de ver um animal silvestre de perto. É importante apreciarem a natureza. Podem registrar a presença deles, mas nunca aproximarem”, explica a bióloga.

A ocorrência de botos nas águas do lago da Usina Hidrelétrica Luiz Eduardo Magalhães, pode se relacionar a redução de pessoas e embarcações na orla do lago, em razão das recomendações dos órgãos governamentais de distanciamento social, em decorrência da pandemia da Covid - 19.

“Possivelmente a diminuição de visitantes, turistas nas margens do lago favoreceu o aparecimento dessas espécies”. Angélica Beatriz conta que o aparecimento dos Inia araguaiensis está restrito entre os trechos dos barramentos entre a Usina Hidrelétrica do Lajeado e a Usina de Peixe Angical.

“Todos devem evitar a aproximação com os botos. Estes animais têm hábitos solitários, mas deve-se respeitar a aglomeração deles. Pode ter sido um encontro casual ou por razão de acasalamento ou mesmo quando buscam na pesca o alimento. Esses grupos sempre representam uma movimentação da espécie”, declara Angélica Beatriz.

Também compartilhando do mesmo pensamento de Angélica Beatriz, o biólogo e inspetor de Recursos Naturais do Naturatins, Oscar Barroso Vitorino Junior, disse ser provável que aparição dos animais no lago, aconteceu em decorrência da diminuição das atividades na orla de Palmas.

“Acredito que a redução da circulação de embarcações no lago podem ter facilitado a observação da espécie, uma vez que além da visão, esta espécie se direciona por meio de um sistema de ecolocação, semelhante aos sonares dos navios e submarinos”, revela o biólogo.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.